Como a melhora do transporte público no Brasil pode diminuir o número de carros nas ruas

As péssimas qualidades do transporte público no Brasil são a causa de uma mobilidade urbana deficiente e precária. Fatores históricos de mudança populacional com a falta de previsão do poder público e o incorreto investimento na estrutura do transporte público se aliaram para criar um grande problema.

Novidades
4 meses atrás
Como a melhora do transporte público no Brasil pode diminuir o número de carros nas ruas
José Cruz/Agência Brasil

Composição do transporte público no Brasil

No Brasil o transporte público – na verdade deveria se chamar transporte coletivo, pois se fosse público não teria custo além dos incontáveis impostos que o brasileiro já paga – está composto pelos ônibus, trens e metrôs.

Embora o sistema ferroviário seja muito mais eficaz, barato e menos poluente, o que prevalece é o transporte feito por ônibus. Isso por causa da falta de investimento por parte do governo nesses serviços.

Status atual do transporte público no Brasil

O status atual do transporte público no Brasil infelizmente é desanimador. Apesar de atender uma demanda já muito grande, esse atendimento a maior parte das vezes é feito de modo precário.

A quantidade de pessoas que precisam do transporte público é muito maior que a estrutura dele suporta, ocasionando superlotações e deixando o seu uso quase inumano. De fato, vê-se que o transporte de animais costuma ser mais adequado do que o transporte público.

Origem do problema

A origem do problema se deve à grande massa populacional que abandou as zonas rurais para conseguirem empregos nas grandes capitais. Como as propriedades nessas cidades eram muito mais custosas, essa população precisou criar novos bairros mais afastados que estivesse ao alcance do seu poder aquisitivo.

Acontece que os empregos estavam nas zonas mais caras da cidade, e o transporte público normalmente saia de lugares diversos, mas convergiam todos mais ou menos para os mesmos lugares.

Outro aspecto relevante foi a cada vez maior facilidade em adquirir próprio veículo no cenário financeiro. Com isso, o número de veículos nos grandes centros cresceu mais rápido do que a estrutura necessária para suportá-los.

Unindo os dois fatores: qualidade cada vez pior do transporte público pela superlotação nos grandes centros; diminuição da população em zonas mais afastadas e consequentemente abandono do transporte público por parte das autoridades; facilidade em adquirir o próprio veículo. Esses e outros fatores contribuíram para a péssima mobilidade urbana que temos no país.

“Revolta do vinagre”

Todo esse clima que já vinha desgostando a população há muito tempo, terminou de piorar quando em 2013 foi anunciado o aumento do transporte público. As manifestações começaram aqui, lá e acolá, e tomou grandes proporções, sendo necessária a intervenção da polícia em certas ocasiões e a utilização de gás lacrimogênio. Os manifestantes lançavam vinagre para inibir o efeito do gás, donde o nome de “revolta do vinagre” atribuído a essas manifestações.

Na época o governo recuou e cancelou o aumento das passagens, mas apenas para acalmar os ânimos das manifestações, pois de lá pra cá já tivemos aumento muito mais significativos. A população não aceitou os R$ 0,20 em 2013, mas hoje a diferença do aumento é quatro vezes maior.

Importância do investimento no transporte público

O transporte público ruim é o grande vilão contra a mobilidade urbana. Se o brasileiro soubesse que pode contar com condições dignas nos ônibus, trens e metrôs, com certeza utilizaria mais esses meios de transporte, deixando o carro na garagem para um passeio de fim de semana.

Dados de uma pesquisa realizada pelo IBOPE revelam que mais de 70% da população estaria disposta a abrir mão de se deslocar com o automóvel particular e passar a utilizar o transporte público se fossem feitas boas melhorias no sistema.

Um dos erros na política pública nesse sentido é ter investido tanto em rodovias e tão pouco em sistemas alternativos como o ferroviário. Em países da Europa os chamados trens bala são capazes de fazer a ligação entre grandes cidades e evitam assim uma grande quantidade de veículo em circulação. Isso sem mencionar os metrôs para trechos mais curtos.

Com um transporte público bem planejado, com boa infraestrutura, a mobilidade urbana no Brasil poderia ser excelente. Mas para isso é preciso investimento a longo prazo, e isso não gera prestígio popular e não garante votos…

Mobilidade

Este é um blog especial criado pelo Fusne sobre Mobilidade urbana.

Vamos Bater um Papo?